Terça-Feira, 17 de Outubro de 2017, 06h:24

Tamanho do texto A - A+

Geoparque de Chapada dos Guimarães volta a ser debatido em iniciativa da AL

Para o encontro desta quinta-feira (19), a CST convidou, além dos deputados estaduais, os prefeitos do Vale do Rio Cuiabá. O evento será na Câmara Municipal de Chapada, a partir das 18h

Por FERNANDA ESCOUTO

 

Na próxima quinta-feira (19), acontece audiência pública para debater a criação do geoparque no município de Chapada dos Guimarães. O evento será na Câmara Municipal da cidade, às 18h. 

Conforme a Câmara Setorial Temática (CST) do geoparque, criada pelo deputado licenciado e atual secretário de Cidades, Wilson Santos (PSDB), a audiência tem como objetivo debater com a população local e autoridades a criação do mesmo e os impactos para o munícipio. 

“Acredito que o geoparque pode transformar a realidade turística e de preservação da região, promovendo fomento ao desenvolvimento socioeconômico, por isso é muito importante que todos participem dessa discussão. Ninguém deve ficar de fora”, avalia Wilson.

O deputado licenciado ressalta que apesar do trabalho ser extenso, não pode haver desânimo na realização do projeto. “Temos que ser otimistas. Sabemos que isso não é uma tarefa pra amanhã ou mês que vem. Então precisamos de esforço, foco e ânimo”, conclui.

Segundo o presidente da CST, Caiubi Kuhn, até o final do ano, a equipe espera entregar um relatório final à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. O prazo é até o dia 7 de dezembro, porém pode ser prorrogado.

Para o encontro desta quinta-feira, a CST convidou, além dos deputados estaduais, os prefeitos do Vale do Rio Cuiabá, os vereadores de Chapada dos Guimarães e os de Cuiabá, representantes da Universidade Federal de Mato Grosso, do Instituto Chico Mendes, do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), do Núcleo Cuiabá do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), entre outras instituições públicas e privadas.

 Geoparque

O geoparque é uma área com limites definidos, que inclui notável patrimônio geológico, aliado a estratégias de desenvolvimento sustentável.

No Brasil existe o Geopark Araripe, no Ceará, que possui o reconhecimento da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, Unesco e desenvolve um trabalho relevante na região denominada Cariri, no semiárido do Nordeste.

Entre as metas do Geopark Araripe estão preservar o patrimônio geológico, educar e ensinar o grande público sobre temas geológicos e ambientais e prover meios de pesquisa para as geociências; assegurar o desenvolvimento sustentável através do geoturismo e gerar novas fontes de renda para a população local e a atrair capital privado.