Domingo, 14 de Janeiro de 2018, 21h:55

Tamanho do texto A - A+

Dança típica de Cuiabá e MT tem mais de 200 anos de História e é hoje exaltada em espetáculo de nível internacional pelo Grupo Flor Ribeirinha

Malu Souza

 
A associação de moradores da comunidade de São Gonçalo Beira Rio  deu início a programação de festejos dos 300 anos de Cuiabá,  com a realização da festa de Gonçalo, reunindo várias atrações. O grupo Flor Ribeirinha se apresentou neste final de semana no centro comunitário e empolgou o público presente. O grupo apresentou a dança do Boi Bumbá, a dança da Moringa e o Siriri, o carro-chefe das apresentações na festa.

A fundadora do Flor Ribeirinha, Domingas Leonor, ressaltou que a apresentação foi marcante por ser em São Gonçalo Beira Rio, que é o berço da cultura cuiabana. Ela frisou que a comunidade é bem conhecida pelas suas tradições, principalmente pela culinária, pelo artesanato e a dança folclórica. "Para mim, é motivo de orgulho e de muita felicidade mostrar o trabalho aqui, nesta comunidade, onde vivo e luto pela sua preservação", disse ela emocionada.

O grupo nasceu em São Gonçalo Beira Rio, em julho de 1993. O Flor Ribeirinha trabalha a dança típica mato-grossense, realizada há mais de 200 anos, que reflete o multiculturalismo brasileiro formado por índios, negros, portugueses e espanhóis. Em suas apresentações, o grupo manifesta, numa coreografia variada; melodias alegres e letras que têm como mote a vida ribeirinha e as tradições religiosas. Apresenta o siriri em ritmo contagiante, marcado pela batida da viola de cocho, do mocho e do ganzá. O Flor Ribeirinha efetivou um trabalho de preservação do siriri e também do cururu e o rasqueado, que são  importantes manifestações culturais do estado.

O Flor Ribeirinha já participou de todos os festivais de Siriri em Mato Grosso. O grupo foi convidado para se apresentar em festivais de Santa Catarina, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Sul e outros estados brasileiros. O grupo continuou rompendo fronteiras e foi convidado para se apresentar no Peru e posteriormente no Paraguai.  O grupo se apresentou ainda na França e na Itália. Em 2016, se apresentou na Coreia do Sul, onde conquistou o segundo lugar, concorrendo com vários países. Em 2017, sagrou-se campeão mundial na Turquia com o espetáculo "Mato Grosso Dançando o Brasil.