Sexta-Feira, 12 de Agosto de 2016, 09h:55

Tamanho do texto A - A+

Trabalho da TVAL será transmitido no programa Ecosenado

Reportagem “Assembleia Legislativa de Mato Grosso promove audiência pública em uma aldeia indígena” vai ao ar nesse sábado, 13, às 20h, com reprise no domingo às 8h30 e 16h

 

Por Maria Nascimento Tezolin

 

 

REPORTAGEM

  

 (Foto: Marcos Lopes/ALMT)

 

A TV Assembleia de Mato Grosso dá mais um salto na qualidade de seus trabalhos e consegue emplacar matéria sobre cobertura de audiência pública no programa Ecosenado, do Senado Federal.  A reportagem “Assembleia Legislativa de Mato Grosso promove audiência pública em aldeia indígena”, do repórter Anderson Sartori, vai ao ar neste sábado (13), às 20h, com reprise no domingo às 8h30 e às 16h. O espaço conquistado é fruto de uma política adotada pela TVAL, nos últimos dois anos, de estreitar os laços com as TVs Câmara, Senado e Legislativas dos parlamentos estaduais de todo o país. “Estamos neste empenho, de estreitar os laços com outras TVs legislativas, e ficamos muito felizes pelo reconhecimento quando o Ecosenado aceitou nosso material. É uma conquista”, comemorou a apresentadora Franchesca Bogo Aguirre.

 

O Ecosenado é um programa que busca mostrar reportagens sobre a diversidade dos ecossistemas brasileiros, a discussão das políticas e das ações de conservação da natureza e dicas de como preservar o meio ambiente. “O programa busca grandes temas que sejam de relevância no contexto ambiental brasileiro e se pauta pela qualidade do trabalho de reportagem, por isso, para nós, é importante que o trabalho tenha sido aceito”, destacou Ever Jota, supervisor de Imprensa da Secretaria de Comunicação Social da ALMT.  

 

Sobre a reportagem a ser exibida, o repórter Anderson Sartori confidenciou: “O mais importante é que com esse trabalho podemos mostrar como o Poder Legislativo consegue chegar longe e atingir as populações, independente das grandes distâncias. O trabalho demanda mais preparação, mas os desafios servem para mostrar como essas pessoas vivem e o quanto elas carecem dessa presença do poder público”, disse.

 

O trabalho a ser transmitido é vinculado à cobertura de uma audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa, proposta pelo líder de governo na Casa, deputado Wilson Santos. Ela ocorreu no dia 6 de junho de 2016, na aldeia Umutina, município de Barra do Bugres. Naquela oportunidade, foi criada a Federação dos Povos Indígenas de Mato Grosso, que elegeu como presidente Bemoro Metukiri, neto do cacique Raoni, da etnia Caiapó. “Atualmente, esses povos têm mais pontos convergentes do que soluções. Essa federação vai colaborar diretamente para melhorias toda a infraestrutura de que necessitam”, disse Santos.

 

O evento também foi um marco na discussão do processo de demarcação e ampliação de reservas indígenas em território mato-grossense e levantou demandas de questões relativas a educação, saúde, desenvolvimento sustentável e meio ambiente dos povos indígenas. O debate resultou num levantamento de todas as reivindicações indígenas, que estão sendo levadas ao governador Pedro Taques, com o propósito de buscar  alternativas à melhoria das condições de vida dessas etnias. “Nossa meta é melhorar as condições de vida, por meio de saúde, educação e infraestrutura nas aldeias indígenas, afirmou Wilson Santos.

 

A experiência de transmissão de uma audiência pública direto de uma aldeia indígena foi marcante para toda a equipe da Secretaria de Comunicação da Casa. Cerca de 45 profissionais da TVAL, Rádio Assembleia, site ALMT e setor de publicidade se dedicaram durante três dias para que tudo desse certo. Foram jornalistas, apresentadores, repórteres, publicitários, editores de texto e de imagem, técnicos de áudio, técnicos de manutenção que juntos, fizeram um trabalho " in loco" e outros direto da redação, para que tudo saísse perfeito.

 

“Temos uma equipe experiente, muitos que vieram da TV aberta, outros com experiência na cobertura de atividades parlamentares e que juntos conseguiram traduzir  a audiência pública num grande trabalho de reportagem”, resumiu o secretário de Comunicação da ALMT, jornalista Raoni Ricci.