Terça-Feira, 09 de Janeiro de 2018, 23h:19

Tamanho do texto A - A+

Com gafe em apresentação, zagueiro contratado pelo Grêmio elogia a defesa do Inter

Redação


O zagueiro Paulo Miranda foi apresentado oficialmente pelo Grêmio no final da manhã desta segunda-feira. O jogador recebeu das mãos do vice-presidente de futebol do Grêmio, Odorico Roman, a camisa de número 28.

O novo reforço cometeu uma falha ao tentar elogiar a defesa gremista e acabou dizendo o nome do rival tricolor, mas em seguida pediu desculpas. "Todo mundo sabe que a defesa do Inter é uma das melhores do mundo. Tô preparado, sei da responsabilidade que vai ser. Procuro desempenhar um bom rendimento para quando o professor precisar eu estar a disposição e preparado para isso. Desculpe o ato falho aí", disse. "É que ele está pensando no Gre-Nal", acrescentou o dirigente gremista sentado ao lado do zagueiro.

O defensor que estava no futebol austríaco comentou sobre as características que o estilo de jogo do país europeu ajudou a acrescentar no evolução do atleta. "Um jogo muito rápido, com muita pressão. Isso fez com que eu aprendesse muito. Creio que quando precisar da minha experiência, eu vou poder ajudar da melhor forma possível. É clube que funciona muita marcação e pressão e isso fez com que eu tivesse sucesso lá. Agora, eu espero manter aqui e procurar o meu espaço porque sei que vai ser difícil. Espero que aqui eu possa estar bem e quando precisar vou estar a disposição", ressaltou Paulo.

Com a negociação do lateral-direito Edílson com o Cruzeiro, o Grêmio deve ir ao mercado para buscar um jogador para a posição. Contudo, Paulo Miranda se colocou a disposição para jogar no setor caso o técnico Renato Portaluppi precise. "Em 2012, eu joguei de lateral pelo São Paulo. Fui muito bem, foi uma posição que eu aprendi bastante. Todo mundo sabe que sou zagueiro, mas se o professor precisar estou a disposição. Não sou o lateral ofensivo, mas estou a disposição do professor", destacou.

Paulo Miranda também elogiou o futebol que o Grêmio apresentou no ano passado. "Eu assistia aos jogos do Grêmio (em 2017) e via que era um futebol de tirar o chapéu. Então, isso me fez que eu tivesse esse interesse de vir para o Grêmio. Lá fora, o futebol foi muito bem visto e só tem elogios", enalteceu o zagueiro.