Sexta-Feira, 01 de Dezembro de 2017, 08h:52

Tamanho do texto A - A+

Vizeu decide de novo, César pega pênalti e Flamengo vai à final da Sul-Americana

Redação

 

Não foi fácil, mas o Flamengo está na decisão da Sul-Americana. Após 90 minutos de pressão, o Rubro-negro conseguiu segurar e Vizeu foi decisivo ao marcar os dois gols da vitória de 2 a 0 sobre o Junior Barranquilla. O confronto ainda teve um outro herói improvável. César defendeu uma penalidade e garantiu a classificação do clube carioca. Na final, a equipe da Gávea vai enfrentar o Independiente da Argentina.

Autor dos gols decisivos desta quinta-feira, Felipe Vizeu já havia sido protagonista da vitória do Flamengo no jogo de ida no Rio de Janeiro. No Maracança, os cariocas saíram atrás no primeiro tempo, mas Juan e o jovem atacante fizeram os gols da virada na etapa complementar.

No confronto em Barranquilla, o Flamengo começou com César escalado no gol na vaga de Muralha, que nem relacionado para o confronto foi. O time brasileiro levou uma pressão da equipe colombiana em quase toda a partida. O arqueiro se saiu bem e fez boas defesas, segurando o empate no primeiro tempo. Os dois gols da vitória dos cariocas saíram na segunda etapa. Felipe Vizeu fez uma grande jogada, arrancou com a bola e abriu o placar, dando um conforto aos cariocas. A partida ainda teria emoção dupla no final. Primeiro, César apareceu de forma decisiva para defender um pênalti cobrado por Chará. Pouco tempo depois, Vizeu voltou a aparecer para fazer o segundo e dar números finais ao confronto.

Após 15 anos, o Rubro-negro volta a decidir uma competição internacional. O adversário será o Independiente, da Argentina. O jogo final será no Maracanã.
Flamengo derrotou o Junior Barranquilla e está na final da Sul-Americana
Gilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

O JOGO

Em campo, como já era esperado, o Junior Barranquilla começou pressionando o Flamengo e tomou conta das ações ofensivas. A posse de bola colombiana passava dos 60% e o clube carioca não passava do meio de campo. O resultado disso foram chances de gol criadas pelo time da casa, mas sem a efetividade que se esperava Seguro, César fazia as suas primeiras defesas mais difíceis e segurava o 0 a 0.

Na frente, o Flamengo só levava algum perigo quando a bola chegava em Felipe Vizeu, mas sem a participação dos meias Éverton Ribeiro e Diego, muito apagados em Barranquilla. E foi assim que abriu o placar aos seis minutos do segundo tempo. Após receber de Trauco pela esquerda, ainda antes da linha do meio de campo, o atacante driblou um rival e avançou em velocidade para a área. Na saída do goleiro Viera, chutou rasteiro entre suas pernas para sair comemorando.

De modo desorganizado, mas cheio de vontade, o Junior Barranquilla foi todo para frente. Tentou fazer o gol de empate de tudo o que era jeito, mas nada da bola passar por César, que mesmo sentido cãibras se virava para fazer suas defesas e garantir a vitória. Até pênalti ele pegou, aos 42 minutos, em chute de Yimmi Chará no seu canto esquerdo. Era um momento importante do jogo, já que o empate faria a pressão colombiana ser ainda maior.

O Junior Barranquilla não fez e foi castigado com mais um contra-ataque mortal do Flamengo. Pelo lado direito, Rodinei avançou até a linha de fundo e cruzou na pequena área para Felipe Vizeu tocar para as redes e comemorar o seu quinto gol na Copa Sul-Americana e a classificação à final.

FICHA TÉCNICA
JUNIOR BARRANQUILLA 0 X 2 FLAMENGO

Local: Estádio Metropolitano Roberto Meléndez
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Auxiliares: Claudio Rios (CHI) e José Retamal (CHI)
Renda/Público: -
Cartões amarelos: Rhodolfo (FLA); Barrera (JUN)
Gols: Vizeu, 6'/2°T (0-1) e 46'/2°T (0-2)

JUNIOR BARRANQUILLA: Viera, Murillo, Pérez, Ariás e Gutiérez (Barrera, 26'/2°T); Narváez, Cantillo, González (Díaz, 12'/2°T) e Mier (Ovelar, intervalo); Chará e Téo Gutierrez. Técnico: Julio Comesaña.

FLAMENGO: César, Pará, Rhodolfo, Juan e Trauco; Cuéllar, Arão e Diego; Everton Ribeiro (Márcio Araújo, 34'/2°T), Paquetá (Rodinei, 40'/2°T) e Vizeu (Mancuello, 48'/2°T). Técnico: Reinaldo Rueda.