Terça-Feira, 14 de Junho de 2011, 09h:52

Tamanho do texto A - A+

Vazio sanitário da soja começa nesta quarta-feira em MT

Mato Grosso dá início nesta quarta-feira (15) ao vazio sanitário, período que varia entre 60 e 90 dias sem soja no campo. De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), essa medida visa reduzir a sobrevivência do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da ferrugem asiática da soja evitando assim ataques precoces da doença na safra. A medida também vale para os estados do Paraná e Roraima.

Desde 2006, o vazio sanitário foi adotado no Brasil. Atualmente a medida preventiva está implantada em 12 Estados (MT, GO, MS, TO, SP, MG, DF, MA, PR, BA, RO, PA). A maioria deles adotou o vazio sanitário por 90 dias. No entanto, três deles optaram pelo período de 60 dias: Bahia, Pará e Maranhão.

"No Rio Grande do Sul optou-se pelo não estabelecimento do vazio sanitário, por considerarem que as condições climáticas na entressafra não permitem o desenvolvimento da soja e o Estado de Santa Catarina adotou apenas para a entressafra de 2009", explica a pesquisadora Claudine Seixas, da Embrapa Soja.

Durante o vazio sanitário é proibido o cultivo da soja no período estabelecido e também é exigida a eliminação de soja voluntária ou tiguera (plantas originárias dos grãos caídos no solo durante a colheita, transporte, etc).

Paraguai

Em 2011, pela primeira vez, o Paraguai adota o vazio sanitário para a soja determinado pela Resolução Nº 071, de 11 de fevereiro de 2011, do Servicio Nacional de Calidad Y Sanidad Vegetal Y de Semillas (Senave). Denominado de "pausa fitosanitaria", o cultivo de soja fica proibido entre 1º de junho e 30 de agosto, em todo o território paraguaio.

A Resolução prevê exceção apenas para  avanço de gerações e para produção de semente genética de cultivares tolerantes ao fungo que causa a ferrugem asiática.