Quarta-Feira, 14 de Junho de 2017, 20h:00

Tamanho do texto A - A+

UM “PEPINO” ATRÁS DE OUTRO: Pecuaristas de MT podem enfrentar mais problemas caso a Europa cancele importações de carne

Redação

 

Por ser a região que concentra o maior rebanho de gado de corte do país, pecuaristas de Mato Grosso, além de problemas derivados da crise da JBS e também pelo excesso de ofertas no mercado de bois para o abate, agora têm  pela frente mais um motivo para se preocupar e que pode agravar a situação.

 

Uma auditoria da União Europa descobriu mais de cem casos de contaminação da carne brasileira e Bruxelas ameaça impor novas restrições aos produtos. O resultado da auditoria foi apresentado na segunda-feira para os ministros de Agricultura da Europa que, numa reunião em Luxemburgo, deixaram claro que estão preocupados com a situação sanitária das exportações do Brasil. 

 

O levantamento, realizado em maio em fazendas e frigoríficos brasileiros, concluiu que o controle é "insatisfatório" e que, mesmo depois da Operação Carne Fraca, o governo não implementou o prometido. 

Na segunda-feira, a Comissão Europeia enviou uma carta ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, deixando claro sua preocupação após a auditoria. A missiva foi enviada depois da eclosão da Operação Carne Fraca, em março, revelando corrupção envolvendo fiscais. 

 

"Como o resultado da auditoria não foi considerado satisfatório, a comissão indicou que novas ações eram necessárias por parte das autoridades brasileiras", indicou a UE. Na carta a Blairo,  os europeus insistem que o governo não tomou as medidas que havia prometido, ainda em março. 

 

Num tom direto e duro, os europeus alertam que a "credibilidade" dos controles no País foi colocada em dúvida e que, mesmo depois do escândalo, as ações não foram implementadas. 

 

Diante da situação, a Europa quer agora que o Brasil interrompa toda a exportação de carne de cavalo para o mercado europeu. Bruxelas também exige que nenhuma nova empresa solicite entrar na lista de exportadores de frango ou carne bovina. 

 

Das empresas que ainda têm o direito de vender, a Europa vai exigir testes microbiais em 100% das exportações. Todos os contêineres terão de ser acompanhados por certificados de saúde antes mesmo de deixar o Brasil. 

 

Durante a reunião, delegações expressaram preocupação com a fraude. Alguns, porém, pediram uma atitude ainda mais dura por parte da Comissão Europeia em relação às autoridades brasileiras. Em resposta, a comissão indicou que vai "monitorar de perto a situação". 

 

Num relato publicado sobre o encontro, Bruxelas também indicou que "se o Brasil fracassar em cumprir os pedidos da Europa, ações mais decisivas poderiam ser consideradas". 

 

Durante a auditoria, feita no começo de maio, mais de cem casos de Salmonella e E. Coli foram registrados nas carnes brasileiras. 

 

Procurado, o Ministério da Agricultura não se pronunciou. Blairo estava na China. 

 

Com informações são do jornal O Estado de S. Paulo.