Sábado, 02 de Junho de 2018, 02h:41

Tamanho do texto A - A+

Bolsa sobrevive à demissão de Parente e sobe com bancos, sidurúrgicas e Vale

Redação

 

O efeito no Ibovespa do pedido de demissão de Pedro Parente do comando da Petrobras, que fez desabar os papéis da empresa e contaminou outras estatais, foi compensado à tarde pelo avanço dos bancos, siderúrgicas e da Vale, além de uma melhora do cenário externo, levando o índice Ibovespa a fechar o dia em alta.

 

O mercado, contudo, seguiu de perto as notícias em torno do substituto de Parente porque, a depender do nome definido, terá sinal do nível de interferência do governo na empresa, que afeta a percepção de risco dos investidores em relação à empresa e ao Brasil.

 

Com a saída de Parente, o principal ponto de atenção dos investidores, antes do fechamento, era a escolha do substituto. Depois do encerramento do pregão, surgiu com força o nome de Ivan Monteiro, diretor financeiro da empresa.

 

Fontes ouvidas pela Coluna do Estadão disseram que ele foi indicado para assumir o comando da estatal depois de receber a garantia de que não haverá da parte do governo interferência na política de preço da petroleira. O conselho de administração da Petrobras aceitou a indicação do governo como interino.

 

Os operadores queriam saber se o próximo presidente da estatal seria um nome mais técnico e independente - opção que agradaria mais, pela possibilidade de continuidade da gestão conduzida até então por Parente - ou outro de perfil político, este mais rejeitado porque seria mais suscetível a interferências.

 

Alguns analistas apostavam em um substituto político, dado que faltam somente sete meses para o fim do mandato de Michel Temer. Já outros diziam que o nome do próximo do presidente da estatal importa pouco nesse momento, uma vez que nem mesmo Parente, considerado um nome de peso, foi capaz de impedir interferência do governo na política de preço.

 

"A questão, agora, é saber até que ponto haverá interferência, se será pouca ou muita", afirmou Roberto Indech, analista da corretora Rico.

 

O Ibovespa fechou o dia em alta de 0,63%, aos 77.239,75 pontos. Na Petrobras, as ordinárias fecharam em queda de 14,92% e as preferenciais recuaram 14,82%, depois de chegarem a cair mais de 20% no intraday.

 

A baixa no encerramento do pregão levou a uma perda de mercado de R$ 40,4 bilhões. No setor financeiro, o Itaú Unibanco avançou 1,98% e, entre siderúrgicas, a Usiminas teve alta de 7,15%. A Vale registrou ganho de 4,21%.
(Com Agência Estado)