Segunda-Feira, 02 de Outubro de 2017, 18h:33

Tamanho do texto A - A+

Ataque contra show em Las Vegas mata ao menos 58 e fere 515 pessoas


Redação

O xerife de Las Vegas, Joe Lombardo, em conferência, atualizou os dados sobre o tiroteio ocorrido na madrugada desta segunda-feira (2) em um show de música country nas proximidades do Mandalay Bay Casino, em Las Vegas. Ele informou que o número de mortos está em 58, com a possibilidade de chegar a 59. O número de feridos chega a 515 pessoas. Lombardo pediu ajuda com doações de sangue e informou que as buscas no quarto do atirador foram concluídas. As polícia deve levar ainda algum tempo para analisar o material coletado.

Um porta-voz do FBI, por sua vez, reforçou que não há conexão do caso com o terrorismo internacional. Mais cedo, o Estado Islâmico reivindicou o ataque, e disse que o atirador de Las Vegas havia se convertido.

O ataque foi cometido pelo norte-americano Stephen Paddock, de 64 anos, branco, que disparou contra o público do "Route 91 Harvest Festival" da janela do seu quarto. As autoridades também corrigiram uma informação sobre a morte dele. O agressor cometeu suicídio assim que os agentes policiais chegaram em seu quarto, no 32º andar do cassino Mandalay Bay. Ele, então, não foi morto pela polícia, como tinha sido inicialmente divulgado.

 

paddock

 Stephen Paddock


A polícia encontrou 19 fuzis  no quarto em que estava hospedado. Stephen Paddock, originário de Mesquite, em Nevada, disparou várias rajadas, que chegaram a ser confundidas com fogos de artifício. O homem vivia em Las Vegas com uma mulher de 62 anos, que já está com a polícia para prestar depoimento.

O show era a céu aberto. O público pensou de que se tratavam de fogos de artifícios, mas, depois, percebeu que eram disparos de armas de fogo. O "Route 91 Harvest Festival" é um festival de música country que tinha começado em 29 de setembro e terminaria na noite deste domingo. No momento do ataque, o cantor Jason Aldean estava no palco. "Foi horrível, muito pior do que qualquer pesadelo", relatou o artista.

O Mandalay Bay Casino fica localizado na Las Vegas Strip e tem 39 andares, os últimos cinco usados pelo Hotel Four Seasons. O Mandalay Bay está conectado com os hotéis Excalibur e Luxor por meio de um pequeno monotrilho. "Escutamos diversos tiros de arma automática", disseram testemunhas.

O tiroteio já é considerado o mais sangrento episódio com arma de fogo na história dos Estados Unidos. Até então, o pior tiroteio tinha sido o da boate gay "Pulse", em Orlando, em 12 de junho de 2016, quando o jovem Omar Saddiqui Mateen, de 29 anos, abriu fogo contra o público. O ataque matou 49 pessoas e deixou mais de 50 feridos. Já o terceiro tiroteio mais sangrento na história dos EUA ocorreu em 2007, no massacre da Virginia Tech, em 16 de abril. Morreram 33 pessoas, incluindo o atirador, e 21 ficaram feridas. O crime foi cometido pelo jovem sul-coreano Cho Seung-hui, de 23 anos, que tinha problemas psicológicos.

Trump define tiroteio em Las Vegas como 'terrível'

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, definiu como "terrível" o ataque ocorrido nesta madrugada (2) em Las Vegas. No Twitter, o magnata republicano enviou suas condolências aos familiares e amigos das vítimas.

Mais tarde, em pronunciamento, sem fazer referência alguma ao terrorismo, ao extremismo ou ao controle de armas de fogo, o presidente dos Estados Unidos lamentou o ocorrido. Adotando uma postura totalmente pacífica, Trump pediu solidariedade e união aos norte-americanos, disse rezar pelas vítimas e elogiou o trabalho da polícia e das equipes de resgate. "A ação milagrosa da polícia evitou mais mortes", disse o magnata.   

Trump usa tom solidário em discurso após ataque em Las Vegas

Papa chama tiroteio em Las Vegas de 'tragédia sem sentido'

O papa Francisco afirmou que o tiroteio é "uma tragédia sem sentido" e destacou que está "profundamente triste" com o ataque. Em um telegrama enviado ao bispo de Las Vegas, monsenhor Joseph Anthony Pepe, o líder católico disse "rezar pelos feridos e todos que foram mortos".

"Profundamente triste com a notícia do tiroteio em Las Vegas, o papa Francisco assegura sua proximidade espiritual a todos os atingidos por essa tragédia sem sentido", diz a nota, enviada pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin.

Embora o FBI negue qualquer ligação com Estado Islâmico, grupo divulga comunicado formal sobre ataque em Las Vegas

Grupo diz que ação foi feita por "Abu Abd Abdulbar al-Ameriki"

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) divulgou um comunicado oficial reivindicando a autoria do atentado que matou 58 pessoas em um festival de música em Las Vegas, nos Estados Unidos.

 

Após ter declarado responsabilidade na ação por meio de sua agência de propaganda, a "Amaq", a milícia voltou a se pronunciar, depois de as autoridades norte-americanas terem dito que ainda não foi descoberto nenhum indício de terrorismo internacional no caso.

 

No comunicado, o EI identifica o autor do ataque, Stephen Craig Paddock, como "Abu Abd Abdulbar al-Ameriki". Na guerra de narrativas com os EUA, o Estado Islâmico diz que o atirador se converteu recentemente ao Islã.

 

No entanto, segundo Rita Katz, diretora do portal de contraterrorismo SITE, o grupo continua sem oferecer nenhuma prova de sua ligação com o ataque em Las Vegas, mas afirma que ele foi "incitado" por seu líder, o "califa" Abu Bakr al-Baghdadi.

 

Recentemente, o Estado Islâmico divulgou o primeiro pronunciamento do terrorista desde novembro do ano passado, no qual ele insta seus seguidores a cometerem atentados nos Estados Unidos e na Europa.