Quarta-Feira, 10 de Agosto de 2011, 08h:27

Tamanho do texto A - A+

Na Argentina, candidatos à eleição presidencial partem para reta final da disputa

Os dez candidatos à Presidência da Argentina, incluindo a atual presidenta Cristina Kirchner que tenta mais um mandato,  preparam-se para o encerramento das campanhas para as eleições primárias que ocorrem no próximo domingo (14). Nas primárias, os candidatos devem obter um mínimo de apoio nacional para ter condições de concorrer às eleições em 23 de outubro.

A presidenta Cristina Kirchner organizou para hoje (10) à noite a cerimônia de encerramento da campanha no Teatro Coliseo e estará acompanhada pelo ministro da Economia,  Amado Boudou, seu candidato a vice. A expectativa, segundo aliados, é reunir também governadores, prefeitos e parlamentares.
 
Pela legislaçãoa argentina, será considerado vitorioso na disputa eleitoral aquele que conquistar  45% dos votos válidos ou 40%, desde que ocorra uma diferença mínima de 10% em relação ao segundo colocado na corrida presidencial. Do contrário, ocorrerá uma disputa em segundo turno, em 10 de dezembro. Como no Brasil, o presidente da República na Argentina cumpre mandato de quatro anos.

Além de Cristina Kirchner, concorrerem à Presidência da República da Argentina mais nove candidatos. Entre eles estão os ex-presidentes Ricardo Alfonsín, da Unión Cívica Radical, e Eduardo Duhalde, do Partido Justicialista.

Também estão na corrida presidencial Hermes Binner, do Partido Socialista; Alberto Rodríguez Saá, do Partido Justicialista; Elisa Carrió, da Coalición Cívica ARI (CC-ARI); Jorge Altamira, do Partido Obrero; Alcira Argumedo, do Proyecto Sur; José Bonacci, do Partido del Campo Popular, e Sergio Pastore, do Movimiento de Acción Vecinal.