Sexta-Feira, 27 de Maio de 2011, 11h:58

Tamanho do texto A - A+

Mais de 6 mil casos de dengue este ano no Estado

Mais de 6 mil casos de dengue já foram notificados este ano em Mato Grosso. Os dados foram divulgados hoje (27) pela secretaria de Saúde de Mato Grosso. Dos 6.529 registros, 32 foram notificados como casos graves de dengue. Até o momento foram notificados 06 óbitos, sendo 05 confirmados e 01 em investigação.

Cuiabá, a capital do Estado tem a notificação de 974 casos de dengue, sendo 14 de casos graves. Desses 14 casos graves registrados em Cuiabá apenas 08 são residentes na Capital. Outros 06 são residentes nos seguintes municípios do Estado: 01 em Tangará da Serra, 01 em Nova Brasilândia, 01 em Alto Paraguai, 01 em Guarantã do Norte, 01 em General Carneiro e 01 de Barra do Bugres. E 01 caso é de pessoa residente no Estado do Amazonas, em Manaus.

Em Várzea Grande a notificação é de 257 casos de dengue. Em Sinop a notificação é de 1.072 casos de dengue. E em Rondonópolis, a notificação é de 257 casos da doença.

ÓBITOS - Os municípios que tiveram a notificação de óbitos por dengue até o momento foram General Carneiro (01 caso confirmado), Pedra Preta (01 caso confirmado), Colíder (01 caso confirmado), Cuiabá (01 óbito em investigação), Torixoreu (01 confirmado), Ribeiraozinho (01 confirmado).

As notificações de casos de dengue em Mato Grosso, no ano de 2010, de 1º de janeiro a 26 de maio foram de 39.017 casos, sendo que Cuiabá notificou 3.636, Várzea Grande notificou 1.746 casos, Sinop notificou 2.831 casos e Rondonópolis 3.879 casos. Em 2011, as notificações neste mesmo período foram de 6.529 casos de dengue, em todo o Estado.

Segundo o superintendente de vigilância em saúde, Oberdan Lira, o Estado de Mato Grosso mantém o alerta no monitoramento sobre o novo sorotipo da dengue, o DEN 4 que tem circulação em alguns Estado do País, porém em Mato Grosso ainda não se tem notificação de nenhum caso do novo sorotipo. O Estado estendeu o alerta aos 141 municípios.

MEDIDAS DE PREVENÇÃO - A Secretaria de Estado de Saúde continua a recomendar medidas de prevenção simples, que devem ser tomadas pela população do Estado, que são manter as caixas d’água, tonéis e barris ou outros recipientes que armazenam água, totalmente tampados e limpos lavando-os com escova e sabão semanalmente. Deve se remover tudo o que possa impedir a água de correr pelas calhas e não deixar que a água da chuva fique acumulada sobre as lajes.

No caso dos vasos de plantas, encher de areia, até a borda, os pratinhos dos vasos. Se não tiver colocado areia ele deve ser lavado com escova, água e sabão, pelo menos uma vez por semana. Deve se jogar no lixo todo objeto que possa acumular água, como potes, latas e garrafas vazias. Colocar o lixo em sacos plásticos, fechar bem esses sacos e deixá-los fora do alcance de animais. Manter as lixeiras bem fechadas.