Quinta-Feira, 12 de Outubro de 2017, 00h:14

Tamanho do texto A - A+

SEM CONTATO: Ex-secretário de Segurança, coronel da PM e sargento presos no caso dos “grampos” são transferidos para locais diferentes

Redação

 Três presos investigados por escutas clandestinas e obstruçãoda justiça – o ex-secretário de Estado de Segurança Pública, delegado Rogers Jarbas; o ex-chefe da Casa Militar, coronel Evandro Lesco e o sargento o sargento João Ricardo Soler – tiveram suas transferências decretadas para diferentes locais, a fim de que não mantenham contatos com outros detidos pelo mesmo motivo: “grampos” telefônicos

Rogers será transferido do Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) para a sede da Polinter. A ordem de tranferência é do desembargador Orlando Perri.

"Determino, ainda, a expedição de ofício ao Secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Fausto José Freitas da Silva – responsável pelo sistema prisional – para que providencie a imediata transferência do custodiado Rogers Elizandro Jarbas, atualmente custodiado no Centro de Custódia da Capital, para a sede da Polinter, porquanto, segundo informações obtidas com o Delegado-Chefe daquela Unidade Policial, há possibilidade de recebimento do aludido preso provisório em uma das dependências lá existentes.", determina o desembargador.

A medida, segundo Perri, visa evitar “o contato entre eles, e, de consequência, a probabilidade de ajustarem suas versões ou de criarem álibis no intuito de prejudicar as investigações policiais”, complementa.

Jarbas foi preso durante a Operação Esdras, no último dia 27 de setembro, juntamente com Paulo Taques e o ex-secretário de Justiça e Direitos Humanos, Airton Siqueira.

Já o ex-chefe da Casa Militar Evandro Lesco foi transferido para uma cela com grades na Rotam. A determinação foi dada para evitar que Lesco tenha privilégios como ocorreu na semana passada quando deixou o 3º batalhão da PM para ir a uma farmácia.