Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017, 11h:08

Tamanho do texto A - A+

Silval nega ter feito delação premiada, mas "terremoto político" sobre o que ele está revelando ao MP continua forte

Redação

Embora o ex-governador Silval Barbosa insista em negar que tenha feito acordo de colaboração com o Ministério Público,  mas sim prestado "apenas informações pontuais" sobre denúncias das quais não teve responsabilidade pelos crimes que lhe estão sendo imputados, continuam fortes os comentários junto à classe política e os meios jurídicos de que realmente o ex-governador fez a tão temida delação premiada e que vem colocando em polvorosa parcelas importantes das instituições públicas de Mato Grosso e muitos de seus integrantes. 

 

Inclusive, com esse propósito de contestar as informações de que ele fez o acordo de delação com os promotores, sua defesa emitiu nota (leia o teor no final da matéria).

 

No entanto,  a reportagem do Página Única reitera que os bastidores políticos mato-grossenses estão sob "temperatura máxima", tensionados ao extremo com o borburinho que se estabeleceu em torno de uma cogitada - e não é de agora que se especula sobre o assunto - delação premiada do ex-governador Silval Barbosa, supostamente feita ao Ministério Público Federal.

 

O clima de apreensão e mesmo medo de operações policiais que poderão surgir em decorrência do que Silval teria dito aos procuradores federais é pelo fato que ele envolveu nada menos que 16 deputados e ex-deputados, membros do Judiciário, Tribunal de Contas, entre outras instituições, além do ex-governador  Blairo Maggi (PP), senador licenciado e atual ministro da Agricultura. Com relação a Blairo ele teria reservado um "capítulo especial".

 

Segundo fontes deste site, um dos denunciados e que é deputado estadual fez, recentemente, uma visita ao ex-governador, no Centro de Custódia de Cuiabá, onde Silval está preso desde 17 de setembro de 2015, e recebeu a confirmação do próprio que a delação fora feita e "não tinha mais jeito de voltar atrás".

 

Surpreendido com a visita inesperada, segundo as mesmas fontes, Silval teria dito ao deputado que o procurou: "Estou preso aqui há tanto tempo e só agora você vem me visitar?!".

 

Em seguida, o ex-governador teria afirmado que "não roubou sozinho", mas estava sendo bode-expiatório de todas as supostas falcatruas ocorridas em sua gestão.

 

O parlamentar, ao tomar conhecimento que também estava na "lista de Silval" saiu "chorando" do presídio.

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

A defesa de Silval Barbosa, por meio do advogado Délio Lins e Silva Júnior, tendo em vista as recentes notícias veiculadas na imprensa dando conta de possível acordo de delação, esclarece que ao contrário do que vem sendo noticiado, Silval Barbosa assumindo nova postura defensiva optou apenas por fazer confissões pontuais acerca de determinados temas, a fim de afastar acusações sobre fatos nos quais não teve participação e responder apenas por aquilo que tem efetivamente responsabilidade. Ademais, reitera que não está negociando qualquer acordo de colaboração premiada.

 

Délio Lins e Silva Junior.